Ásia

O que fazer em Chiang Mai?

A cidade, fundada no século XII, foi alvo da cobiça dos birmaneses. Dessa forma, era protegida por uma muralha, ladeada, do lado de fora, por canais. A proteção não foi, entretanto, suficiente e em 1558 Chiang Mai acabou conquistada.
Os birmaneses dominaram a cidade até 1725. Depois simplesmente abandonaram Chiang Mai. Assim, só em 1774 “Rosa do Norte” só foi retomada pelos siameses (a Tailândia antigamente se chamava Reino do Sião) .

Chiang Mai, no norte da Tailândia, a Rosa do Norte, o fabuloso orquidário de Chiang Mai

Chiang Mai, isolada do mundo

Chiang mais, porém, manteve-se isolada do resto do país até 1921, quando foi inaugurada uma ferrovia ligando-a a Bangkok.

A cidade mudou muito depois. Atualmente a maior parte de suas muralhas não existe mais. Há somente trechos, bem como uma das suas portas, a  Tha Phai, decorada por dois elefantes brancos bem graciosos. 

Templo em Chiag Mai, no norte da Tailândia

Como ir á Chiang Mai na Tailândia

E, há igualmente o lado financeiro

Para ir de Bangkok a Chiang Mai, no norte da Tailândia, optamos pelo ônibus, uma viagem noturna de 12 horas em bus-cama, com toalete, bastante confortável. O avião, afinal, além de caro, nos obrigaria a enfrentar uma hora e meia de trânsito feroz até o aeroporto. E, ainda mais, teríamos que chegar pelo menos duas horas antes do horário do vôo. Depois, novamente, ao chegar a Chang Mai, toca a esperar pelas malas, para depois encarar mais um tempão dentro do táxi. Ou seja, o ônibus nos pareceu mais interessante.

Como ir a Chiang Mai, no norte da Tailândia? Ônibus ou avião?

Assim, sai muito mais barato pegar ônibus. Afinal, somente o preço das corridas dos táxis até os aeroportos, bem caras, sobretudo em Bangkok, é equivalente ao valor da passagem de ônibus. Assim também, tomando ônibus noturno, economizamos a diária do hotel.
Enfim, várias companhias disponibilizam um ótimo serviço de transfer que nos deixa na porta de nosso hotel. Desse modo, economizamos o táxi! Portanto, se, de um lado detestamos longas viagens diurnas de ônibus, à noite encaramos fácil, porque dormimos o tempo todo, não sentimos o tempo passar. 

Ônibus noturno de BangKok para Chiang Mai, no norte da Tailândia

Corona virus

Já estive em Chiang Mai outra vezes. Desta vez, entretanto, com Ketty, em fevereiro de 2020, a epidemia do Corona Vírus espalhava-se pela China. Logo depois o virus começou a  se detectado em outros países. Na Tailândia já havia 14 casos, embora nenhuma morte, por hora.

Saiam logo daí!

Amigos de São Paulo começavam a nos enviar mensagens do tipo “Saiam o quanto antes daí!“; “Que perigo!” “Vocês estão bem?” Dávamos risada. Afinal, sabemos que quem mora em São Paulo e, principalmente no Rio, corre dez vez mais riscos de morrer num assalto, principalmente se sair à noite. Ou ser atropelado, ou se arrebentar num acidente de automóvel… Em suma, respondíamos brincando: “Saiam vocês de São Paulo (ou do Rio!)!” “Estão correndo risco!”

O tsunami vem chegando

Ninguém em março de 2020 tinha ideia do tamanho da crise que atingiria toda a humanidade com a força de um tsunami. Nem nós mesmos. Portanto pelo menos naquele momento, esse pânico todo não fazia sentido. De qualquer forma, compramos máscara e álcool gel e ficamos atentos no desenrolar dos acontecimentos.
Assim, à noite, no quarto, buscávamos informações nos sites de jornais europeus e norte-americanos. Buscávamos notícias igualmente no Facebook. Tomávamos cuidado todavia, de verificar se a fonte era confiável.

Viajando para Chiang Mai, no norte da Tailândia: mera precaução..

Ninguém contaminado

Você está com febre?

De qualquer forma, ao chegar em Chiang Mai, mediram nossa temperatura na própria rodoviária, logo ao descer do ônibus. Não entendemos bem como funciona, mas era, antes de mais nada, para saber se havia alguém contaminado. Ninguém!

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é Chiang-Mai-porta-muralha-208_n-2-1.jpg
A antiga muralha de Chiang Mai, no norte da Tailândia

Algumas palavrinhas sobre Chiang Mai, no norte da Tailândia

Chiang Mai, no norte da Tailândia, com uns 150 mil habitantes na sua área urbana, e uns 1.700.000 em todo seus distrito, não é agitada como Bangkok. Assim também, tem um  ar mais provinciano, embora tenha algumas avenidas movimentadas e os edifícios modernos esteja se tornando mais numerosos.  Igualmente, uma referência para se orientar na cidade é a larga avenida junto do canal que corta a Chiang Mai.

Uma surpresa com o clima

A “Rosa do Norte”, como Chiang Mai é apelidada, costuma ser fresca no inverno, e ainda mais à noite. Quando estive outras vezes nessa cidade na mesma época, que corresponde ao inverno no hemisfério norte, lembro-me de, principalmente à noite, vestir um pulôver e blusão de couro.
Desta vez, porém, tivemos uma surpresa. Mesmo à noite vestíamos apenas umas camiseta. Ou seja, A máxima estava passando dos trinta graus e a mínima acima de vinte e dois. Embora tenhamos deixado a maior parte de nossa bagagem no hotel de Bangkok, trouxemos casacos de couro e malhas de lã, que nunca chegamos a usar.

O canal que atravessa o centro del Chiang Mai, no norte da Tailândia

Hospedagem em Chiang Mai

Hotelzinho meia-boca

Tínhamos, assim, reservado pelo Booking uma noite em um hotel numa das pontas desse antigo centro histórico. O hotel não era entretanto, o que queríamos. A localização, para começar, não era ideal. Sabíamos que a área mais agradável ficava longe dali, do lado de fora das muralhas, portanto. Portanto, o lugar melhor mesmo, era a região perto do Night Bazar e da Porta Thao Pai. Esse hotel, não tinha cafeteira nem frigo-bar e o café da manhã era fraco, e, ainda mais, servido quase frio. Por uma noite servia. Porém, no quarto mesmo, ante de dormir, abrimos nosso notebook e reservamos outro lugar.

Canal perto do Night Market, que divide a cidade em Chiang Mai, norte da Tailândia

Explorando a região do Night Market

Assim, no dia seguinte, depois do café aguado tomamos um tuk-tuk e resolvemos explorar a região do Night Market.  Nossa preferência era sempre ficar em hotéis centrais. Enfim, não no meio do buxixo, mas bem do lado, já que as noites costumam ser bem barulhentas no centro da bagunça.
Havia na região do Night Market diversos pequenos hotéis e guest houses.

O Bau-Tong Loadge, um achado

Depois de perambular um pouco pelo bairro, achamos afinal um super simpático, o Bau-Tong Loadge, por apenas 20 dólares. Mais barato do que o anterior, onde pagávamos 25. Um achado! Dessa forma, à noite, com pouco mais de cinco minutos de caminhada, estávamos no Night Market, no meio da festa.
Portanto, se alguém está pensando em conhecer a Tailândia, anote o nome desse hotel.

Bau-Tong Lodge, em Chiang Mai, norte da Tailândia

Hospedagem junto ao Night Bazar de Chiang Mai

Um dormitório ótimo

Bem mobiliado e, ainda mais, com uma pia também no quarto, ao lado de uma geladeira de verdade, mesa de trabalho, toalete com banheira. E, claro, ar condicionado, algo que não pode faltar na Tailândia! Ou seja, muito melhor.
A localização igualmente muito boa: a duas quadras do Night Bazar e de inúmero templos.

Monges no mercado de Chiangmai, norte da Tailândia

Atrações em Chiang Mai, no norte da Tailândia

Night Bazar

Night Bazar de Chiang Mai tem de tudo. Seu comércio é variado, principalmente roupas em todas as ruas em volta da entrada principal. No mercado deparamos igualmente com belas peças de bronze e madeira.
Da mesma forma o Night Market abriga uma grande variedade de restaurantes bons e baratos. Logo, há pratos do mundo todo, comida italiana, grega, grelhados e fast food. Ainda mais, existem ali barzinhos, cafés e shows de música ocidental  e tailandesa, que incluem espetáculos de dança. Tudo grátis! Assim, nós sentávamos nos bancos em frente ao palco e ficávamos um bom tempo curtindo o espetáculo.

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é TAILÂNDIA-CHIANG-MAI-2.jpg
Dança típica de Chiang Mai, norte da Tailândia

As dançarinas: espetáculo gratuito e super gracioso em Chiang Mai, na Tailândia

As dançarinas são ensinadas desde meninas na arte dessas danças tradicionais. Àss vezes parecem flutuar! Em suma, dançam na ponta dos pés, seus movimentos são suaves, até o movimento das mãos e dos olhos fazem parte da dança.
Logo, você pode se instalar em uma das cadeira em frente ao palco e apreciar o espetáculo marcado pela suavidade dos movimentos

A gastronomia variada do Night Market em Chiang Mai

O Nigh Bazar é, portanto, um bom lugar para se comer, com uma enorme variedade de culinária, do mundo todo, além de pratos super sabores da culinária Thai. Ou seja sempre acabávamos por ir jantar no Night Bazar. No almoço, por outro lado, comíamos perto do hotel,

Paid Thai prato tradicional tailandês em Chiang Mai, na Tailândia

Antes de mais nada, muito cuidado com a pimenta

Muitos pratos tailandeses são super apimentados, de derreter a língua. Quando você pergunta se tal prato tem pimenta, respondem: “Um pouquinho só“. Não caia portanto nesse papo. Pouquinho para eles… Logo, mesmo quando dizem que não tem pimenta, quase sempre tem, pelo menos um pouco.

Comida no Night Market de Chiang Mai, norte da Tailândia

Os principais Templos de Chiang Mai

Chiang Mai é igualmente famosa por seus templos, com uma rica arquitetura. Na cidade e seus vizinhança há 300 deles! Os mais importantes, são: 
1- Wat Chiang Man o mais antigo templo de Chiang Mai; o Phra Sing, erguido em 1345, lindamente decorado,
2- Suan Dok do século XIV, que abriga as cinzas de membros da antiga família Real de Chiang Mai;
3- Chedi Luang, que possuí o maior chedi (o cone que você vê sobre o templo) onde fica o Buda de Esmeralda;
4- Ku Tao, com sua decoração de porcelanas colorida.
Enfim, templos nessa linda cidade é o que mais tem é o que mais tem, mas o mais imperdível é o Wat Chedi Luang, enorme. A noite é todo iluminado. 

Wat Chedi Luang em Chiang Mai

Os jardins de Wat Chedi Luang em Chiang Mai

Não demos sorte. Os jardins estavam abertos, seu interior, porém, já estava fechado quando visitamos o lugar. Dessa forma, pudemos apenas perambular pelos jardins e igualmente obter ótimas fotos noturnas. Eu diria que fiquei mais impressionado em visitar esse templo à noite do que durante o dia. Antes de mais nada, saiba que se trata um conjunto de templos. Embora tenhamos conhecido vários outros templos muito bonitos, Chiang Mai possui outras atrações. 

Os monges que nem piscam

Em alguns templos, como no Wat Phra Singh você vê monges em sua meditação. Ficam tão imóveis que você se pergunta se são estátuas. Ou seja, nem piscam! Assim, os turistas, que mantinham distância respeitosa dos monges, ficavam de boca aberta. Ninguém consegue ficar sem piscar… Além disso, eram quase imperceptíveis os movimentos causados pela respiração !

Monges em Ching Mai, na Tailândia, imobilidade total

A fábrica de sombrinhas artesanais, visita imperdível, em Chiang Mai, na Tailândia

Uma curiosidade é a fábrica de sombrinhas coloridas de diversos tamanhos e desenhos.

Fábrica de sombrinhas em Chiang Mai

Nessa fábrica assistimos todo o processo de fabricação com varetas de bambu, a colagem do papel ou da seda, os artistas pintando caprichosamente as as sedas das peças. Em suma, uma obra de arte!

Sombrinha em Chiang Mai, norte da Tailândia

Como somos Youtubers e deparamos uma das gerentes da área de produção que ficou feliz em falar francês comigo, nos permitiram filmar e fotografar as peças da loja, normalmente algo proibido aos turistas. Dessa forma, conseguimos ótimas imagens das peças.

Fábrica seda e tecelagem Chiang Mai. Muito interessante!

Do mesmo modo, uma tarde pudemos visitar uma tecelagem de seda e acompanhar todo o processo de fabricação do precioso tecido. Vimos as larvas, a extração e fiação dos fios de seda, a formação de novelos, seu tingimento e a tecelagem de peças de diversos tons. Cada artesã trabalha, sempre a mão, em seu engenho. Enfim, super interessante!
Por último, uma curiosidade: as larvas torradas são não servem apenas para fabricar seda, são igualmente comidas como aperitivo, como amendoim salgado no Brasil…

Thai Silk Village, em Chiang Mai, norte da Tailândia

Uma atração que não pode faltar no seu roteiro: o Orquidário de Chiang Mai

Visitamos igualmente um dos mais lindos orquidários do mundo, com mais de 1.300 espécies, de cores e formas diferentes. Assim, alguns exemplares, incríveis, você não vê em nenhum outro lugar. Esse é o tipo de visita que recomendamos. Ou seja, você sai de lá extasiado.

Orquídia em Chiang Mai

As orquídeas ficam alinhadas em corredores numa espécie de estufa meio sombreada, que reproduz as condições ideais de clima para essa planta. Dessa forma, caminhar por ali é um choque de cores. Você nem sabe para onde olha !

Rara orquídea no orquidário de Chiang Mai, norte da Tailândia

Trekking sobre um elefante

Eu já havia feito um trekking uma vez até uma aldeia de uma tribo nas montanhas. Dar banho neles e alimentá-los achamos sem interesse. O trecking que fiz há alguns anos quando visitei a Tailândia, é, porém, bem  interessante, ainda mais porque nos hospedamos numa tribo das montanhas. 

Esta imagem tem um texto alternativo em branco, o nome da imagem é TAelefan02-1024x656.jpg
Os elefantes partindo para tracking

E o santuário de tigres em Chiang Mai ?

Santuário dos tigres de Chiang Mai, norte da Tailândia

Bom , pessoal, é uma das principais atrações de Chiang Mai. É igualmente, um tópico polêmico, que mereceu uma postagem exclusiva. Veja a matéria: “O santuário de tigres em Chiang Mai”.

Conheça mais sobre a Tailândia

Santuário dos tigres de Chiang Mai
O Orquidário de Chiang Mai
Bangkok – Khaosan Road

Phiphi Island
Krabi
Lanta

Atrações nos arredores de Chiang Mai

Palácio de Phu Phung

Foi construído em 1961. O palácio é, antes de mais nada, residência da familia real da Tailândia quando visita Chiang Mai. Quando o local não está sendo ocupado por membros da realeza é aberto à visita.

Museu Nacional 

O Museu National de Chiang Mai, instalado em um prédio moderno, abriga objetos de arte e peças de artesanato do norte da Tailândia.

Turismo aventura na região vizinha na Chiang Mai, na Tailândia

A região de Chiang Mai, é cortada por rios, recoberta por florestas com trechos de montanhas. Nelas habitam tribos de minorias étnicas.
A visita às aldeias dessas tribos podem ser contratada em agência de turismo de Chiang Mai. São feitas por barco até o ponto de partida de safaris de elefante. É somente lá, portanto, que você sobe no bicho.
Muitas tribos conservam suas vestimentas tradicionais coloridas.

As mulheres girafas

Outras tribos exibem suas famosas mulheres-girafas, que portam, desde crianças, argolas para alongar o pescoço. Depois de adultas não podem mais retirar as argolas. Afinal o pescoço, muito fino, pode quebrar.

Menina em aldeia próxima a Chang Mai, norte da Tailândia

Hospedagem na aldeia

É possível se hospedar na residência de um aldeão dessas tribos das montanhas. Quando fiz esse safari já contratei quarto com refeições incluídas numa agência de viagens de Chiang Mai. Não tinha sequer eletricidade. Esse foi, porém, o céu mais estrelado que vi na minha vida.

Os transportes urbanos na Tailândia

É bom saber, em primeiro lugar, que existe um sistema de transportes urbanos por ônibus em todas as grandes cidades tailandesa. Não é, entretanto, tão muito simples usá-lo. Lembre-se de que sempre há uma certa dificuldade de comunicação: pedir qualquer informação na rua já é um pouco complicado.

A lotação em camionete, que percorre Chiang Mai catando passeiros

Os táxis em Chiang Mai

Outro motivo que torna desinteressante tomar ônibus é que os táxis são muito baratos. Ao tomar qualquer tipo de táxi, você deve discutir o preço antes de subir no veículo, e barganhar sempre.
O ideal é pedir na portaria do hotel um motorista que fale alguma coisa de inglês e, assim, eventualmente, contratá-lo para o dia todo ou até para alguns passeios. Se ele falar mesmo inglês, será também uma boa oportunidade para ficar sabendo um pouco mais sobre país e costumes locais.

Tuk-tuk em Chiang Mai

São, antes de tudo, mais econômicos do que os táxis, mais rápidos também, porque, sendo menores, levam vantagem no trânsito. Uma das vantagens dos tuk-tuk é serem abertos e ventilados. Mas, subir num tuk-tuk é uma aventura. Logo, tem hora que dá medo. Você se pergunta se vai chegar vivo ao seu destino!

Tuk-tuk em Chiang Mai

As caminonetes táxis em Chiang Mai, no norte da Tailândia

Mais em conta do que os tuk-tuk: um dos modos mais baratos de se deslocar em Chiang Mai. As camionetes-táxi têm preço fixo de corrida.
Por outro lado, são menos confortáveis que os táxis e tuk-tuks. Na carroceria há bancos laterais para umas oito pessoas.
A caminhonete vai parando e pegando passageiros que vão mais ou menos na mesma direção que você. A cor da camionete indica a “linha” que ela seguirá. Assim, para nós era sempre a vermelha.

Caminote-táxi em Chiang Mai, norte da Tailândia

Compras em Chiang Mai, norte a Tailândia

Nos mercados tailandeses encontramos de tudo. As roupas de seda tailandesas são charmosas e têm qualidade. Há assim também, um artesanato bem variado, lindas peças de decoração, como de madeira ou bronze. Você encontrará antiguidades (desde já, saiba que podem ser verdadeiras ou não!), pinturas, caixinhas pintadas em ouro, porta-jóias, jóias, bijuteriasOu seja, tudo isso você encontra no Night Market e vizinhanças.

Loja de artesanato em Chiang Mai, no norte da Tailândia

 1) Barganhe sempre. Antes de mais nada tenha em mente que o preço inicial que lhe pedem é sempre superior ao valor real da mercadoria. A barganha, portanto, faz parte da cultura local;
2) Cuidado com as falsificações, tanto de produtos “de marca” (bolsas Luiz Vitão, por exemplo!) quanto de “antigüidades”. Os “novotiquários” tailandeses são famosos! Então, não caia no papo do vendedor de que a peça é antiga. Diga que quer uma peça apenas com cara de antiga… 

Todas imagens de Buda são sagrada, as dos templos e as reproduções

Buda: olha o respeito com o Mestre!

Muita gente compra estátuas de Buda, mas é proibido sair do país com elas, mesmo novas. As representações de Buda que saem do país são portanto despachadas ou então , são de madeira, dessa forma não detectadas pela segurança dos aeroportos quando são registradas na bagagem de compartimento.

Reproduções de são sagradas

Como elas são consideradas sagradas, se os fiscais de alfândega notarem, a peça será apreendida. Há um caso famoso de turista brasileiro que teve sua estátua apreendida e, furioso, jogou-a ao chão. Foi preso. Logo, fique sabendo: a imagem de Buda na Tailândia é sagrada!
O curioso é que já despachei sem problemas. Vai entender!

Buda, todas suas imagens, novas ou antigas, são sagradas

Dicas sobre Chiang Mai

Comunicação

É muito difícil – muito mesmo – viajar pelo sul da Ásia sem falar pelo menos um inglês “básico”. Na Tailândia o problema de comunicação é bem sério. Assim, pouca gente fala inglês. Assim, pelo menos um inglês básico todo viajante tem que falar!

Drogas

Atenção, aqueles que curtem.  Na Tailândia mesmo drogas leves, como marijuana, são proibidas. Há pouco tempo o uso medicinal da erva foi liberado. Na ilhas há pouca ação da polícia e muita gente fuma. Em Bangkok, por outro lado, quem for pego com maconha pode se ver numa enrascada.

Comum nas ilhas, mas não oficialmente liberado

Turismo sexual

É lamentável, mas Tailândia, existe o chamado turismo sexual. Igual ao Brasil. São comuns assédios de prostitutas a turistas ocidentais e os golpes praticados por elas, como furtos.
Há da mesma forma, situações mais sérias como colocar droga no bolso do turista e denunciá-lo em seguida para um policial (às vezes falso) – que chegará para chantageá-lo. Portanto, fique atento se for assediado por belas tailandesas. Provavelmente ela só quer seu dinheiro.

Assuntos Relacionados:

 

Posts Relacionados

Mendoza, na Argentina

Sonhos de Viagem

036 De Paris a Katmandu de carro – “A Vaca na Estrada” – Os meninos de rua de Katmandu

Sonhos de Viagem

Relato da Nossa Viagem na Pandemia – Parte 6 – A volta ao Brasil

Sonhos de Viagem
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x