América do Sul

Trujillo e Chan-Chan

Bom, pessoal, como quase todos nossos seguidores já sabem, estávamos subindo a América do Sul de busão da Terra do Fogo ao Caribe. Trujillo e as ruínas de Chan-Chan faziam, portanto, parte de nosso roteiro rumo ao Equador e outros países mais ao norte.

Centro de Trujillo: a cinco km de Chan-Chan

Como ir a Trujillo

A maioria dos brasileiros, porém, nunca ouviu sequer falar de Trujillo. Assim, desembarcam em Lima  (alguns, aliás, nem param na capital peruana!) e já embarcam para Cusco decididos a visitar Machu Picchu, o ponto alto do turismo peruano. 

De avião

Quem deseja, porém, conhecer melhor o Peru, e tem tempo, não deve perder Trujillo e as ruínas de Chan-Chan. Há vôos diretos do Brasil para Lima, e da capital peruana, vôos domésticos (uma hora de viagem) para o aeroporto Carlos Martinez de Pinillo, situado a menos de meia hora do centro de Trujillo

Há ônibus direto de Lima para Trujillo, ao lado de Chan-Chan

De ônibus para Trujillo

Há ônibus diretos de Lima para Trujillo: são nove horas de viagem. Por isso mesmo, optamos mais uma vez por tomar um ônibus-cama noturno. Como as demais viagens noturnas que encaramos na América do Sul, essa, de Lima a Trujillo foi igualmente tranquila.

Hotel em Trujillo: onde é melhor se hospedar

Mais uma vez, não temos dúvida, nossa preferência é o centro histórico, nas proximidades da Plaza de Armas. Antes de mais nada, é uma região bonita e segura. Por ali fica a maioria das atrações na cidade e também vans e ônibus para visitar as ruínas de Chan-Chan, visita obrigatória. É, igualmente, no centro histórico que você tem mais escolhas de restaurantes, casas de câmbio, agências de viagens e uma grande variedade de serviços.

Sobre Trujillo

Centro Histórico de Trujillo

Após a conquista do Império Inca e a tomada de Cusco, sua capital, os espanhóis resolveram estabelecer cidades no litoral, com acesso mais fácil à Espanha. Uma delas foi Lima, já destinada a se tornar capital do Vice-Reino espanhol. Ao norte de Lima, Diego de Almagro, o sócio de Pizarro na conquista, fundou em 1534 essa cidade cujo nome é uma homenagem á cidade espanhola onde nasceu Pizarro. Fofoquinha histórica; quando ambos brigaram Almagro foi estrangulado a mando de Hernando, filho de Francisco Pizarro. E este, por sua vez, foi posteriormente assassinado por almagristas… Ou seja, ambos, como vocês podem ver, “cidadãos de bem”.
Uma informação interessante: Trujillo, motivo de orgulho de seus habitantes, foi primeira cidade do Peru a declarar sua independência da Espanha

Trujillo, a porta de entrada de Chan-Chan

É inegável que o principal objetivo dos turistas que visitam Trujillo é conhecer as famosas ruínas de Chan-Chan. Assim também, Chan-Chan era nosso interesse principal. Trujillo, porém, uma cidade colonial com cerca de 820 mil habitantes, nos surpreendeu agradavelmente.

A Plaza de Armas de Trujillo

Antes de mais nada, possui uma das mais belas Plaza de Armas do Peru, ocupada por imóveis coloniais bom preservados. Assim, por exemplo, vale a pena visitar algumas de suas diversas igrejas, ou pelo menos sua imponente catedral, além do Palácio Municipal.

Plaza de Armas, Trujillo

Uma rica herança colonial

Na praça e nos seus arredores ficam igualmente belas residências, herança dos tempos coloniais, a maioria transformadas em museus. Portanto, se você tiver uns dias para se dedicar à cidade, visite alguns deles, não somente por seu acervo, mas também pela arquitetura dos imóveis. Se você tem interesse pelas antigas civilizações pré-colombiana, não perca o Museu de Arqueologia, na Calle Junin 682.

Trujillo à noite

O Festival da Primavera em Trujillo

O Festival da Primavera é mais uma das grandes festas folclóricas peruanas, com direito a carros alegóricos, com temas folclóricos, dançarinos, vestidos a caráter, músicos e desfile de misses. O festival acontece anualmente entre final de setembro e começo de outubro. Portanto, se você estiver por lá nessa época, não perca essa festa.

Catedral de Trujillo

Quando visitar Trujillo

Trujillo pode ser visitada o ano todo. Mesmo nos dias mais quente as temperaturas raramente ultrapassam os 28 graus. No verão a cidade recebe mais turistas. Vôos e hotéis estão mais caros. Primavera e outono são nossas preferências, porém, inclusive no inverno, as noites costumam ser apenas frescas. Aliás, Trujillo é conhecida igualmente como a cidade da eterna primavera. Acho que isso já diz tudo.

Chan-Chan

Reconstituição de Chan

Chan-chan é, sem sombra de dúvida, a principal atração de Trujillo. Afinal, no Peru, quando falamos em ruínas arqueológicas, a primeira coisa que nos vem a cabeça são construções de pedra cuidadosamente encalhadas e encaixadas. Assim, muitos se surpreendem ao visitar Chan-Chan. Trata-se, simplesmente do maior sítio arqueológico do mundo construído inteiramente adobe. Ou seja, com tijolos de barro misturados com palha. Por isso mesmo, é considerado Patrimônio da Humanidade pela Unesco.

Capital da cultura chimu

Estruturas em adobe em Chan-Chan, Trujillo

Chan-chan foi a capital da cultura Chimu, uma das mais importante do norte do país, posteriormente conquistada pelos incas.
Assim, muita gente se pergunta: como construções de barro anteriores aos incas existem até hoje e não “derreteram” sob as chuvas. Uma das razões é que chove pouco nessa região. Outro motivo é que as ruínas de Chan Chan que você vai visitar não têm atualmente o mesmo aspecto decadente daquelas do período colonial. Ou seja, têm sido constantemente restauradas por arqueólogos.

Chan-Chan, Trujillo, Peru

O que você verá em Chan-Chan

O famoso sítio arqueológico guarda poucos vestígios e restos de templos ou palácios. Assim, a mais importante construção é o Palácio Tschudi, em um grande espaço protegido por muralhas, tendo como centro a área cerimonial. Essa área central com muros que possuíam até 12 metros de altura era reservada a nobreza e à classe sacerdotal. Dessa forma, o povão ficava de fora…
A principal atração do sítio são seus muros com magníficos altos e baixo relevos, com representações de aves, peixes e outros animais, além de formações geométricas.

Relevos em Chan-Chan, região de Trujillo

Huacas

Há outros sítios arqueológicos que se pode visitar a partir de Trujillo. É o caso da Huaca Esmeralda e a Huaca Arco-Íris (também chamada “do Dragão”), as Huacas do Sol e a da Lua (estas últimas de cultura Mochica, que antecedeu a Chimu). São locais, entretanto, afastados uns dos outros, e implicam em boas caminhadas sob o sol forte. Aliás, depois que você visita Chan-Chan, seu interesse é apenas relativo. São plataformas também construídas em adobe, com decorações igualmente em relevo.

Como ir a Chan-chan

É possível conhecer a famosa cidade de adobe contratando uma excursão em um agência. Esse não é, porém, nosso perfil. Afinal, Chan-Chan, fica a apenas cinco km de Trujillo e pudemos pesquisar sobre a capital da cultura Chimu . Assim, resolvemos contratar um táxi por uma hora e meia, tempo mais do que suficiente para a visita. Chan-Chan é aberta a visitação entre nove da manhã e cinco da tarde. 

Dicas

Fiquem espertos: o sol nessa região pega forte. Como, entretanto, a corrente fria do Pacífico refresca o clima, nem sempre nos damos conta da intensidade dos raios solares. Assim, por isso mesmo, um chapéu leve para proteger a cabeça e um protetor solar é recomendável.

Os estranhos cães de Chan-Chan

Os misteriosos cachorros quentes de Chan-Chan

Em primeiro lugar, já alertamos: não é desses de barquinhas que você come com mostarda! Uma curiosidade no sítio são seus estranhos cachorros pretos, sem pelo, exceto na cauda). Esses cães que só existem em Chan-Chan e têm a particularidade de possuir uma temperatura corporal muito mais elevada do que a dos cães normais. Dessa forma, são usados para aquecer pessoas que contraem uma gripe ou uma pneumonia, ou por mulheres com cólicas menstruais. O cão, nesse caso, é colocado na cama da pessoa sob uma coberta.

Onde obter informações e mapas sobre Trujillo e Chan-Chan

Trujillo tem diversos escritórios oficiais de turismo, bem úteis.

Oficina de turismo – Informacion Turistica de Trujillo
Jirón Francisco Pizarro 412

Centro de informação ao turista Oficina de turismo
Jirón Independencia 467 · +51 44 294561

Oficina de turismo
Parador Turístico, – Complejo Arqueológico Huaca de la Luna – Valle de Moche · +51 980 894 160


 

Posts Relacionados

Mendoza, na Argentina

Sonhos de Viagem

Bangkok, na Tailândia

Sonhos de Viagem

O que fazer em Cusco

Sonhos de Viagem
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x