Europa Itália

Dicas sobre Veneza, no norte da Itália

Nosso objetivo é, nessa postagem passar dicas sobre Veneza, no norte da Itália. Antes de mais nada, Veneza, é para nós, do Canal Sonhos de Viagem, um dos nossos destinos favoritos na Itália.


Veneza, na Itália

Dicas sobre Veneza Na Itália: os melhores meses do ano para você curtir La Sereníssima

Já escutei algumas pessoas comentando que os canais podem ter mau cheiro. Eu nunca percebi nada, apesar de ter um olfato de perdigueiro! Acredito, entretanto, que, no verão os canais podem ter de fato algum odor. Não sei, porque, quando morava em Paris, fugia para o norte da Europa no verão. Nunca estive em Veneza no verão.
Em suma, considero meses como junho, julho e sobretudo agosto, muito quentes em quase todos os países da UE. As cidades européias não combinam com calor! Portanto, a primeira dica que quero passar é: evite Veneza no verão! O ideal, portanto, é outono e primavera. As temperaturas são amenas, agradáveis, a passagem aérea e as diárias de hotéis estão com preços mais apetitosos.

Dicas sobre Veneza: não deixar de visitar a Piazza San Marco, o coração da cidade

E o inverno? Bom, eu, pessoalmente que lido bem com o frio, prefiro os meses temperados em Veneza do que o verão. Devo confessar, entretanto, que o vento frio do mar durante o inverno incomoda um pouco. Da mesma forma, no inverno informe-se sobre as marés, que provocam l’acqua alta. Portanto, no inverno, podem ocorrer inundações.
Se fosse mencionar os meses que (na minha opinião e a de Ketty igualmente) são mais agradáveis, eu diria que são os meses de abril, maio, outubro, novembro.

Canal Grande, em Veneza

Fila para tudo em Veneza Na Itália

Outro bom motivo para escolher a primavera ou o outono para visitar Veneza, é que a cidade, no verão, está infestada de turistas de toda Europa, dos USA, Canadá, Japão, China etc. Ou seja, o verão corresponde à época de férias escolares no hemisfério norte, quando a maioria das pessoas está podendo viajar.
Dessa forma os hotéis estão lotados, os vaporettos que transportam passageiros igualmente, uma multidão toma as ruas. Há, portanto, filas para visitar as atrações, filas para se tomar um sorvete, filas para tudo. Você vai visitar um museu e não consegue ver nada porque um excursão recém chegada da Bessarábia do Norte entupiu as galerias de quadros.
Igualmente, mal se consegue andar na Piazza San Marco com todo mundo distribuindo migalhas de pão para os pombos e posando para fotos. Os pombos retribuem fazendo suas necessidades sobre a cabeça dos turistas. Alguns acham isso a suprema glória… Assunto para muitos papos de barzinhos numa happy hour no Brasil!

Piazza San Marco, Veneza

Onde é melhor se hospedar?

Nós não temos o costume de indicar hotéis porque acreditamos que nos sites de hospedagem do tipo do Booking você encontra uma dezena de opções de hotéis de todos os preços. Assim também, vê fotos de um monte de estabelecimentos, lê comentários e, portanto, analisa se agrada ou não. Não temos condições de fazer o mesmo aqui.

Temos, porém, uma dica bem quente para passar a todos aqueles que pensam ir a Veneza. A melhor região para se hospedar em Veneza é perto da estação Santa Lucia. Ali chegam também lanchas que fazem traslados do aeroporto até Veneza. Em suma, quando você chega à cidade e quando vai embora, terá que ir até a estação para tomar seu trem ou um barco até o aeroporto. Mesmo aqueles que estão motorizados devem deixar seus veículos na Piazzale Roma, quase em frente à estação de Santa Lucia. Ali existe um enorme estacionamento, porém, quase sempre lotado na alta temporada.

Veneza, na Itália

Pontezinhas cansativas

Saiba portanto, que se você ficar em um hotel mais afastado terá que caminhar algumas quadras. Em Veneza isso é mais cansativo do que em outros lugares. Afinal, para chegar a seu hotel, você terá que atravessar algumas pontes sobre os canais, com escadas dos dois lados. Ou seja, subir escadas carregando malas não tem nenhuma graça!
Outra opção é tomar uma lancha-táxis. Antes de mais nada, é bom avisar: sai caro!
Portanto, quanto mais perto da estação, melhor!

Dicas sobre Veneza: subir escadinhas com malas, fuja dessa

Uma idéia, se Veneza estiver lotada, é pegar um hotel na cidade de Mestre, a última parada dos trens que se dirigem a Veneza. Mestre é uma cidade “normal”, sem canais. Dessa forma, hotéis e estacionamentos são mais baratos. De Mestre há muitos trens para Veneza. Porém, se você pretende voltar de Veneza para Mestre, à noite, um pouco tarde, informe-se sobre o horário do último trem.
Por último, uma dica muito importante: sempre chegue a Veneza com hotel reservado!

Canal Grande em Veneza

Veneza Na Itália é única

Se você for à Itália poderá visitar Veneza, Roma, Milão, Florença, Nápoles etc. São, assim como Veneza, alguns dos destaques do turismo italiano. Claro, se você for à Itália poderá igualmente amar essas cidades. Não poderá, entretanto, começar com comparações do tipo: qual cidade é mais bonita.? Roma ou Veneza? Florença ou Veneza?
Veneza é única, não dá para comparar. Há uma tendência no turismo no mundo todo de de querer comparar Veneza com outras cidades. Dizer que Amsterdã é a “Veneza do Norte”, eu ainda engulo. Afinal, a bela cidade holandesa é de fato toda cortada por canais. Mas, dizer, por exemplo, que Bangkok é a “Veneza do Oriente”, já é exagerar um pouco. Adoro Bangkok, porém os canais ficam, quase todos, fora da cidade. Assim, na mesma linha, Recife, por exemplo, já virou “Veneza Brasileira”, na visão do turismo local. Logo, os marqueteiros do turismo vão começar a falar que Santos é a Veneza Paulista, porque a cidade tem uns canaizinhos de escoamento de água…

Vamos a mais dicas sobre Veneza? organize seu passeio, pesquise

Como ir a Veneza Na Itália ? De avião, de carro, de trem?

Do Brasil não há vôos diretos. Você terá, portanto, que descer em Roma, ou em Milão, situada a 270 km de Veneza, bem mais perto, ou Roma, uns 500 km ao sul. Dessa forma, terá que tomar uma conexão, trem ou ônibus até Veneza. Há, igualmente, vôos diretos para Veneza a partir das principais cidades italianas e de muitas cidades europeias, como Paris, Londres etc.
Se você estiver motorizado poderá estacionar na Piazzale Roma, em frente à estação ferroviária. Considere, porém, que o estacionamento não é muito barato e que, no verão é difícil achar vaga. Assim, uma boa opção para quem está de carro, é se hospedar em Mestre, ao lado de Veneza, onde é mais fácil estacionar.

Dicas: como visitar a cidade

Veneza para querem gosta de caminhar

Veneza, restaurantes à beira dos canais

Antes de mais nada, lembre-se de, quando você chegar a Veneza, pedir um mapa da cidade no escritório de turismo da Estação Santa Lucia. É possível, porém, que mesmo com o mapa na mão você tenha alguma dificuldade em se orientar.

Assim, é bom entender algumas denominações que você verá nas placas de parede ao se aventurar em Veneza:
sotoportego/sotoportigo, é uma ruela coberta entre ruas e praças;
salizada é uma via importante, uma rua larga;
rio terrà é um canal que resolveram aterrar e virou rua; 
campo é um largo ou uma praça; 
calle é uma rua (igual ao espanhol); 
fondamenta é rua lateral de um canal; 
riva é essa “avenida” larga que acompanha o Canal Grande; 
corte = é uma espécie de pátio. 

Dicas sobre Veneza: se estiver desorientado peça uma mãozinha a alguém...

Uma outra forma de conhecer Veneza é tomar o vaporetto que sai em frente à estação Santa Lucia. Antes de mais nada, saiba que preço para turista e preço para morador são diferentes. Se você fala razoavelmente italiano, não estiver fantasiado de turista, com máquina fotográfica pendurada no pescoço, e não estiver vestindo uma camiseta com um coração vermelho escrito “I Love Venice“, poderá pagar o mesmo preço que os venezianos. Uma vez um funcionário perguntou se eu morava em Veneza. Expliquei que estava participando do seminário sobre l`acque alta, durante um mês e ele me vendeu bilhete destinado à população, numa boa.

O Vaporetto, o “ônibus” de Veneza Na Itália

Veneza, Canal Grande

Senti-me un vero veneziano! Talvez possam perceber que você tem sotaque. Enfim, calabreses, napolitanos, sicilianos igualmente… o italiano falado em cada lugar da Itália tem um sotaque diferente. Se você quiser tentar para testar sua fluência em italiano fique à vontade. O máximo que pode acontecer é lhe venderem um bilhete de turismo!
Preste atenção no modo como falam. Tente entender o dialeto deles. Se você for para Florença depois, notará que não falam o mesmo italiano.
O passeio pelo Canal Grande passa sobre inúmeras pontes, a mais famosa delas, Rialto, vale a pena igualmente ser visitada a pé. Em suma, Veneza deve ser visitada a pé e igualmente de barco. Assim, você verá diferentes aspectos da cidade.

Os palácios de Veneza

Os táxis-barcos

Da mesma forma como os vaporettos correspondem aos nossos ônibus, em Veneza, se você quiser um táxi, terá que tomar uma lancha. O preço da corrida é meio salgada. Conte uns 60 euros da estação Santa Lucia a Piazza San Marco. No auge da estação talvez você pague mais. Você será obrigado, porém a pagar o preço se estiver hospedado longe da estação ou, igualmente, dos pontos de parada do vaporetto. Na baixa temporada é mais fácil barganhar um preço. Aliás, mesmo na alta temporada você deve barganhar.

Dicas sobre Veneza: quer economizar? use o transporte púbico, o vaporetto

O que você não pode deixar de fazer em Veneza

O passeio de Vaporetto de Santa Lucia à Piazza San Marco

Como já mencionamos, existem vaporettos, que são os “ônibus” de Veneza, um meio de transporte, portanto. Dessa forma, você pode, gastando relativamente pouco, percorrer de vaporetto quase toda a extensão do Canal Grande, que corta toda a cidade.
Assim, mesmo pagando o preço do bilhete turístico, sai muito mais barato tomar o vaporetto é uma forma econômica de visitar Veneza.
Procure, entretanto, ficar na área externa, aberta, na popa da embarcação, de onde poderá obter as melhores fotos dos magníficos palácios dos dois lados do Canal Grande. Assim, tem hora que você não sabe para onde olhar!

Canal Grande em Veneza

Visita às ilhas próximas de Veneza

San Giorgio Maggiore

San Giorgio Maggiore é essa ilha em frente à Piazza San Marco. De longe ela chama atenção por seu campanário de onde, do alto, se têm vistas incríveis de Veneza. Se você visitar a ilha, conheça igualmente a igreja e a abadia beneditina. O conjunto data do século XVI. Assim, ao visitar a igreja poderá apreciar as obras primas do mestre Jacopo Tintoretto.
Foi nessa ilha que eu ia diariamente participar do seminário que mencionei, sobre l`àcqa alta. Dessa forma, sempre, mesmo sendo indiferente às religiões, aproveitava e ia à igreja apreciar os quadros e sua bela arquitetura renascentista. Essa igreja é um projeto de Andrea Palladio, um dos mais famosos arquitetos italianos dessa época.
Para visitar San Giorgio Maggiore tome o vaporetto em um pier próximo à Ponte dos Suspiros. Os biglietti não são caros.

San Giorgio Maggiore, em Veneza

Burano

Burano é uma ilha bem graciosa, que, em primeiro lugar, chama atenção do visitante em razão de suas casinhas coloridas, cada uma de uma cor. É um prazer caminhar pela calçada junto aos canais que cortam a cidadezinha. Uma curiosidade é seu campanário, levemente inclinado.
A ilha é igualmente conhecida por suas merletti, ou rendas, um tradição de Burano há alguns séculos. Assim, é interessante visitar o Museo del Merletto, que funciona na Scuola dei Merletti, (Escola dos Rendeiros). As exposições do museu explicam o desenvolvimento das técnicas tradicionalmente empregadas pelas rendeiras desde o século XV. Na Scuola dei Merletti você poderá acompanhar o trabalho das rendeiras. Há lojas que vendem rendas de todo tipo na ilha inteira. Trata-se de um trabalho manual delicado, de qualidade. Em suma, se quiser comprar rendas por lá, prepare o bolso.
Os vaporettos para Burano partem de San Zaccaria no pier próximo à ponte dos Suspiros.

Dicas sobre Veneza: não perca Burano!

Murano

Murano, próxima de Burano, é, igualmente conhecida por sua especialidade, a fabricação de vidros artesanais. Assim, o programa mais interessante, imperdível mesmo, é visitar uma fundição de vidro e ver os artesões em pleno trabalho, utilizando técnicas ancestrais já existentes na Idade Média. As bolas de vidro incandescentes são sopradas e trabalhadas, até serem transformadas em uma enorme variedade de objetos, como taças, jarras, peças de decoração ou mesmo “jóias”. Tudo à mão !
Também vale a pena visitar o Museo del Vitro, com peças do período romano e medieval. Esse museu funciona em um palácio de estilo gótico que, sozinho, já vale a visita.
Os vaporettos para Murano saem também do píer próximo à Ponte dos Suspiros.

Murano, na Laguna de Veneza

Lido de Veneza

Lido é uma extensa faixa de areia junto à Laguna, uma estância balneária chique, e a praia dos venezianos, lotada no verão.
Assim também, o Lido é conhecida por sediar o Festival Internacional de Cinema de Veneza que ocorre anualmente em setembro, quando os feras do cinema concorrem ao troféu “Leão de Ouro”. É, portanto, quando a cidade é ocupada pelas estrelas da sétima arte, jornalistas, paparazzi, além de ricos e famosos do mundo todo. O Lido, entretanto, apesar dessa badalação toda, não tem, canais e, nem de longe a charmosa arquitetura de Veneza. Destacam-se, porém, alguns elegantes hotéis de altíssimo padrão como o Grand Hotel Excelsior o Grand Hotel des Bains, famosos desde a Belle-Époque.
Lido já foi cenário de filmes, como “Morte em Veneza, Luchino Visconti. Muitas das cenas foram rodadas no Grand Hotel.
O passeio até o Lido é interessante igualmente pela navegação pela Laguna. Para visitar o Lido tome a linha 1 do vaporreto que corta o Canal Grande.

Canal Grande em Veneza

As gôndolas de Veneza

A gôndola é um ícone do turismo veneziano. Assim, há aproximadamente quinhentas delas circulando por Veneza. Sua história remonta ao século XI e foi, no passado um meio de transporte comum na cidade, quando milhares delas navegavam por Veneza. Hoje, porém, as gôndolas são destinadas ao turismo.
Uma curiosidade sobre a gôndola é que, ao contrario de uma canoa, por exemplo, onde se rema dos dois lados, um pouco à direita, um pouco esquerda, na gôndola os gondolieri remam somente à direita. Isso porque a a embarcação tem, repare, a proa voltada também para a direita. Se não fosse assim ela não navegaria em linha reta. Um tour de gôndola por Veneza pode ser até interessante, entretanto não é muito barato, custará provavelmente mais de cem euros para um passeio de pouco menos de uma hora. Quem tem um orçamento de viagem folgado pode fazê-lo, porém, já que vale a pena. Enfim, uma vez na vida… E outra, se você estiver viajando, por exemplo, em dois casais, podem rachar a despesa. Trate, porém, de combinar valores direitinho com o gondolieri. Tudo pode ser barganhado.

As gôndolas de Veneza

Dicas sobre Veneza: os comes

Em Veneza, como em toda a Itália, aliás, se come bem. Assim, os restaurantes venezianos, mesmo alguns mais simples, têm freqüentemente receitas criativas, além de todo tipo de pratos de massa, risotos e pizzas. Aproveite igualmente para conhecer os vinhos produzidos no Vêneto.

Restaurante Veneza: lula recheada

Em Veneza existem igualmente confeitarias com uma boa variedade de doces, chocolates, tortas de frutas, bolos, sorveterias como os gelati Artigianale de tudo quanto é sabor. Assim, você, diante de tantas escolhas chega a ficar perdido! Difícil é resistir à tentação. Afinal, os italianos produzem alguns dos melhores sorvetes artesanais do mundo.

Dicas sobre Veneza: não deixe de conhecer seus doces

Compras

Veneza é lotada de lojinhas de souvenirs relativamente baratos, tipo chaveirinhos de cristais de Murano, abridor de vinho com o desenho de uma gôndola, camiseta com a foto da Ponte Rialto e coisas do gênero. Nós, entretanto, preferimos as famosas máscaras inspiradas no Carnaval de Veneza. Há mascaras baratas vendidas em bancas de rua pertencentes a indianos e árabes. Examinado-as reparamos um detalhe: o Made in China no seu interior. Dessa forma, preferimos as de melhor qualidade, genuínas de Veneza, um pouco mais caras, compradas em loja.

Dicas sobre Veneza: compre suas máscaras genuinamente venezianas em lojas. Na rua é made-in-China

Dicas sobre Veneza: museus e palácios em Veneza

Veneza tem vários museus. Vamos mencionar apenas os dois que curtimos mais:

Ca’ Pesaro
Nesse lindo palácio em estilo barroco funcionam dois museus, o Museu de Arte Oriental e a Galeria Internacional de Arte Moderna de Veneza, que reúne obras de Mirò, Klimt, Kandinsky, Chagall, e desenhos de Matisse. Assim, se você curte arte, vai gostar.
o Museu de Arte Oriental expõe porcelanas, pinturas, armas, esculturas e pinturas chinesas, japonesas e Indonesianas. Fica na Santa Croce, 2070.

Ca’ d’Oro (Galleria Giorgio Franchetti)
Palácio gótico veneziano do século XV com peças da coleção particular do barão Giorgio Franchetti, com telas de Tiziano, Tintoretto e Mantegna, além de belas esculturas em bronze e mármore. Fica na Cannaregio, 3932.

Uma curiosidade: lojinha legalizada que vende produtos a base de cannabis

Loja que vende productos à base de cannabis

Essa loja vende produtos à base de cannabis sativa, com baseados prontos, chocolates, pirolitos, licores feitos com maconha, liberada na Itália. Vendem também camisetas, carteiras e bolsas femininas e até relógio de parede com a folha da cannabis. Um baseado custa oito euros. Claro que não compramos. Afinal com oito euros tomamos um vinho bastante decente no boteco da esquina…

Assuntos Relacionados:

Posts Relacionados

De Paris a Katmandu de carro – “A Vaca na Estrada” – Rajastão 2

Sonhos de Viagem

De Paris a Katmandu de carro – “A Vaca na Estrada” – A arte na Índia

Sonhos de Viagem

Mendoza, na Argentina

Sonhos de Viagem
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x